Entulho na mata

Dias atrás fui passear um pouco com minha família. Em Campos do Jordão, visitamos o Horto Florestal, no alto da Serra da Mantiqueira. Lugar muito agradável e bonito. Teve uma parte lá em que eu fiquei sozinho um pouco, apenas olhando a floresta e ouvindo o canto dos pássaros. Tinha um entulho deixado ali e, por alguma razão (talvez meu fascínio por ruínas e lugares abandonados), me deu vontade de desenhar a cena. Continuar lendo Entulho na mata

Valentina

Essa é a Valentina. Tenho uma história de amor à primeira vista com ela. Que não sei se é correspondido, mas eu gosto de pensar que é. 🙂 Valentina chegou aqui do nada, numa tarde. Achei ela tão graciosa e com um miado tão lindo que me apaixonei imediatamente. Comecei a alimentá-la todos os dias e ela passou a viver um bom tempo aqui em casa. Depois que a castramos, ela voltou a viver na rua, num terreno aqui do lado. Nunca mais quis voltar pra casa. Ainda assim, sempre a vejo durante o dia. Principalmente de manhãzinha e à … Continuar lendo Valentina

Estou correndo aqui com os trabalhos, mas arranjei uma brecha para fazer esse sketch do Zé. Eu precisava fazer! O Zé é o cachorro da minha vizinha. Não tem raça definida, muito menos pedigree. E nem precisa, porque o Zé é o Zé. Cachorrinho único, sem similar no mundo. Nunca vi cachorro mais dócil e companheiro, de olhar manso, fiel, e triste. Que de triste não tinha nada, era só um engano provocado pelas manchinhas escuras em seus olhos. Zé é todo feito de alegria, e era impossível andar na rua na companhia dele – e ele sempre me acompanhava … Continuar lendo

Diário desenhado: Visita à ONG

Na última sexta-feira, a Sayonara e eu fomos até a ONG “Anjos de Rua” levar nossa gata Valentina para castrar. Por um valor simbólico, a ONG acolhe animais de rua para fazer castração, vacinação, e ainda promove feiras de adoção onde pessoas que recolhem animais de rua, mas que por vários motivos não podem cuidar deles, possam fazer com que esse bichinhos encontrem um lar. Foi uma tarde muito gostosa! O clima dentro da ONG não poderia ser melhor. Estávamos rodeados de pessoas que realmente amam e se importam com aqueles animais. A Sayonara, que tem mais habilidades sociais que eu, … Continuar lendo Diário desenhado: Visita à ONG

Byron e eu

Fui levar o Byron para passear hoje à tarde, como costumo fazer muitas vezes, numa praça perto daqui. Byron é o cachorro da minha cunhada.   A tarde estava lindíssima. Grandes massas de nuvens se estendendo no horizonte, como só em Manaus se vê. Sabe quando a tarde está de um jeito que você não pode deixar de agradecer a Deus por aquilo? Foi o que fiz. Parei por alguns instantes, o Byron ficou cheirando a calçada, e eu disse baixinho: “Obrigado por essa tarde”. Continuar lendo Byron e eu

Zé Caipora

Participei há alguns dias de uma exposição online celebrando o Dia do Quadrinho Nacional, no Facebook, promovida pelo pessoal do estúdio Ilustrama, na qual deveríamos desenhar nosso personagem brasileiro favorito. Como essa data foi criada em homenagem ao Angelo Agostini, pioneiro dos quadrinhos no Brasil, decidi desenhar meu personagem favorito dele. Continuar lendo Zé Caipora

A faxineira e o entregador

Tardes de sol, morninhas, em pleno inverno, devem me deixar mais sensível mesmo. O desenho de hoje no meu sketchbook foi feito a partir de uma cena que vi quando andava na rua. Já começava o fim de tarde e eu ia, como de costume, ao mercado comprar pão. Uma faxineira de meia idade varria a frente do Edifício Agnes; na rua, vinha um homem transportando um botijão de gás. Ao se virem, cumprimentaram-se com um singelo “Boa tarde”. Talvez fosse só minha imaginação, mas ao notar seus olhares e o tom de voz afetuoso que usaram, me pareceu que … Continuar lendo A faxineira e o entregador

Pessoas na rua

Não acredito em evolução espiritual ou coisa parecida, e sendo assim não sou o tipo de pessoa que espera algo de bom do ser humano. E vivo bem com isso, sem angústia nem preocupações. Mas existem certos dias de inverno em que o sol aparece e deixa a temperatura morninha e agradável nas ruas e por dentro de mim. Nesses dias gosto de sair para comprar pão, andar um pouco e observar as pessoas na rua. Sem julgá-las. Apenas para observar e, talvez, desenhá-las depois, de memória. Nesses dias sinto uma certa ternura pelos seres humanos. Todas as coisas ruins … Continuar lendo Pessoas na rua

Pérola, Suzy e o pote de salsichas

Uma postagem que vi ontem no Facebook me fez lembrar de um episódio com minhas cachorrinhas, Pérola e Suzy, e fiz esse desenho no sketchbook pensando nisso. 🙂 Uma vez minha mãe veio da chácara trazendo um pote cheio de salsichas que ela havia preparado lá e trouxe pra casa. Ao descarregar umas coisas do carro, acabou deixando o pote de salsichas no chão da cozinha. As duas cachorras, que não são bobas nem nada, e ainda por cima obcecadas por salsichas (principalmente a Pérola), não perderam a oportunidade! Quando minha mãe voltou à cozinha, encontrou as duas lambuzadas de … Continuar lendo Pérola, Suzy e o pote de salsichas