Muito legal esse texto do Murphy.

A maior parte dos tópicos que ele cobriu eu já havia sacado por experiência própria, através de observação e exercício de bom senso. A questão da “marca”, por exemplo, já tenho bem definida: quero que meu nome seja associado a quadrinhos de aventura. Isso é inegociável.

O ponto que preciso trabalhar mais é o da “atitude”, o que no meu caso significa tomar coragem pra escrever meus próprios roteiros, pra não ser mais refém de roteirista.

Anúncios